terça-feira, 19 de maio de 2015

CÉREBRO

ando pelo meio-fio dos nervos
tropeço no cerebelo
e o córtex me solta um xingo

sento em meio ao infinito
dos impulsos elétricos
que nunca deixam
nem me deixarão dormir

os lobos que não uivam, ah,
deixaram aqui um pouco de merda
da comida que comeram

sempre fui ocupado com minha vida
na intensidade
paralelamente à realidade

se eu vivo de verdade
vivo de pouquinho:

como vou pelo meu caminho
se no meio de tanto neurônio
fico sozinho?

Siga o blog por e-mail