quinta-feira, 23 de junho de 2016

CANINOS

o olhar de um cachorro
não mira o vazio

antes olha nossas falhas
nossos pêsames
nossas dores de não conseguir
ser eternos


*

em cada pálpebra inocente
existe a fúria canina
que ladra, mas não morde:

se ele que é tão cão
é tão humano
e a gente? por que não pode?

domingo, 19 de junho de 2016

DA PORNOGRAFIA

1. da pornografia do corpo
diante da nudez do corpo
resta a alma:
a única que pode realmente ser despida
com o máximo de decência

a lascívia que corrói a carne
está fadada a destruição:
o mesmo nojo de desejar um corpo putrefato
me assusta
quando desejo um corpo vivo

"é sempre a mesma história, meu querido:
um dia você deixa esta vida;
um dia você põe tudo isso para lá;
um dia você vai ver que isto não é o que você procura;
um dia você vai cair em si e perceber
que isto não é o que você estava procurando" 

mal sabem eles
que a vida vai além de todas estas categorias:
que tudo isto é muito forte, e que
mal dá tempo de viver uma vida só

mal sabem eles que escrevo poemas em gotas
- cada palavra equivale a uma dose de veneno -
e que meus pensamentos milimétricos não são masturbação,
ao contrário:
são afagos no rosto de meu vazio

2. da pornografia da alma
a alma nua é tão absurda
quanto um poema acabado
de forma 
abrupta 

Siga o blog por e-mail